Viagens

Marraquexe | Dia II

O dia começou cedo, fomos a pé até Qubba Almorávida mas, infelizmente, encontra-se em obras de restauração, ficamos tristes, era um daqueles sítios que nos parecia merecer mesmo a visita mas fica a desculpa para voltar a Marraquexe um dia. Seguimos a pé entre mercados para a próxima paragem, muita próxima de Qubba, a Madraça Ben Youssef.


As Madraças foram um dia locais de ensino, é um local super interessante e de uma arquitectura incrível, as paredes quase todas revestidas a mármore cheia de pormenores, um dos meus preferidos em Marraquexe. Lá podemos ainda descobrir imensos recantos da “escola” como os dormitórios, corredores estreitos repletos de pequenos quartos. Ficamos por ali umas horas, a percorrer todos os cantinhos, por dentro um lugar cinzento e escuro que nos prende a atenção. Em seguida fomos até ao Museu da Fotografia, adoramos o museu e adoramos o rooftop que tem uma vista incrível para as Montanhas Atlas, pena o céu não permitir ter uma vista nítida para as montanhas.

Seguimos até à nova cidade, completamente distinta da Medina, onde decidimos parar para almoçar. A nova cidade pareceu-nos já culturalmente mais próxima da nossa. Há um ambiente diferente, as estradas são largas, os prédios mais altos. O trânsito é diferente, ainda assim a condução não deixa de ser característica! Como alguém nos disse por lá “Nós em Marraquexe não conduzimos, nós evitamo-nos.”, achei engraçado e não me esqueci mais desta frase!

Depois de almoço apanhamos um taxi até à Medina para visitarmos os túmulos saadianos que tinham ficado do dia anterior, este também é um lugar que se encontra com algumas obras de restauração. São jardins e edifícios abertos onde existem imensos túmulos de membros da dinastia saadiana, os seus soldados e servos. Depois da visita ficámos pelo Kasbah Café que fica exactamente em frente aos Túmulos Saadianos. é um café super giro e com óptimo ambiente. Vale a visita!

O Jardim Majorelle foi dos primeiros sítios que disse que queria visitar em Marraquexe, adoro jardins e adoro cactos, as imagens deixavam-me com vontade de o conhecer. Chegou o dia, o Majorelle não é muito grande mas no seu interior tem ainda um museu, o Museu Berber que vale mesmo a visita. Este foi o sítio mais caro que visitamos em Marraquexe, as entradas em museus e locais de interessa histórica custam à volta de 1 ou 2€, o Majorelle com entrada também no museu fica por  volta de 10€, mas foi um local que adorámos e que não podíamos deixar de visitar.

O dia terminou em Jemâa el-Fna, jantamos no café de France e ficamos até ao sol se pôr, é incrível ver a praça encher-se devagar, ouvir toda aquela junção de música, de gritos, de conversas. E de repente ouvir-se a chamada para a reza, é um momento arrepiante confesso, sempre que ouvia aqueles gritos às horas das rezas estremecia. É diferente e indescritível.

You Might Also Like

1 Comentário

  • Reply
    Ana Rita
    19 Agosto, 2017 at 1:39

    Adorei o post, as fotografias estão maravilhosas. Fiquei cheia de vontade de visitar Marraquexe! 🙂

    Blog – Coco made me do this

  • Deixa um Comentário