ARMÁRIO CAPSULA MODA

O que fazer às Roupas que já não queremos?

imagem: Pinterest

Estamos numa fase em que há tendências novas todas as semanas, a facilidade em comprar é muito maior graças ao online e, para além disso, as lojas de fast fashion têm cada vez mais opções e preços competitivos. Acabamos por comprar por impulso e usar uma única vez ou deixarmo-nos levar pelos saldos, por exemplo, e ter peças ainda com a etiqueta presas no armário. Somos uma geração muito apegada a bens materiais e caímos no erro  de ir acumulando sem saber exactamente o porquê. Acumular roupa é um dos maiores entraves à nossa criatividade e não tem nenhum ponto positivo, causa-nos stress e não nos permite ter uma noção exacta daquilo que realmente temos, tornando a decisão do que vestir muito mais difícil e demorada. Felizmente hoje temos inúmeras formas de nos livrarmos daquilo que já não queremos e até lucrar com isso. No meu processo de “destralhar” e durante a criação do meu armário capsula fui procurando dar um destino às peças que já não fazia sentido manter e, por isso, decidi partilhar convosco as várias soluções para facilitar também o vosso. Mas antes de decidir o destino das peças, esvaziem todos os armários, vejam todas as peças e decidam da forma mais ponderada possível o que vão manter convosco. Tenham noção do espaço que têm livre e separem então por secções: o que vai ficar, o que vão doar e aquilo que vão vender. Depois disso há cinco entre muitos outros destinos que podem dar àquilo que querem vender:

  • Mercados e Feiras de 2ª Mão: durante todo o ano são organizados vários mercados e feiras com o único objectivos de vender peças em segunda mão, o FLEA Market é um óptimo exemplo mas há vários tanto em espaços fechados como em espaços abertos, mais acessíveis ou com um valor de participação mais caro. Na Internet podem encontrar vários eventos do género mas em alguns deles é preciso inscreverem-se antecipadamente devido às inúmeras participações. Nesse aspecto o facebook será o vosso melhor amigo, os eventos estão lá todos e até vários grupos que se dedicam apenas a esse tema.

  • Lojas Vintage/2ª Mão: há várias lojas, principalmente nas grandes cidades, que compram peças em segunda mão ou que ficam com as vossas peças e depois de as venderem vos pagam. São uma óptima alternativa porque vos poupa toda a logística que está relacionada com uma venda, por exemplo decidir o valor da peça, tirar dúvidas ao comprador, fazer a entrega, etc…

  • Fazer uma troca com amigos ou familiares: combinar um lanche na casa de um amigo ou familiar e todos levarem o que já não querem pode ser um plano super divertido. Para além de que estão a juntar o útil ao agradável, livram-se de peças com as quais já não se identificam e levam para casa peças novas.

  • Plataformas online: já não passamos sem compras online e até as peças em segunda mão já têm muito destaque, há já várias plataformas destinadas a esse tipo de peças. Um dos mais antigos é o OLX mas agora também o Facebook tem uma parte personalizada especifica para vendas. Ou podem criar uma página numa rede social para esse efeito.

  • Costumização: há peças que já não usamos porque estão curtas, compridas, pequenas ou grandes ou porque têm um pequeno pormenor com que já não nos identificamos mas que até nos imaginamos a usar se fizéssemos uma alteração. Essas são óptimas oportunidades para darmos asas à criatividade, abusarmos dos DIY que estão pelo Pinterest e dar uma nova vida à peça. Quem não gosta de ter algo único e personalizado?! Toda a gente gosta!

Estas são as minhas cinco soluções para as peças que vocês já só têm a ocupar espaço no vosso armário. Não se deixem levar pelo “Mas se calhar eu ainda vou usar isto.” ou “Pode voltar a ser tendência.”, se não usaram nos últimos três meses ou na última estação é porque está a mais, ou já não se identificam ou têm algo semelhante ou não é aquela peça que vos faz sentir confiantes. Livrem-se delas e deixem espaço para as que realmente usam e abusam!

You Might Also Like

Sem Comentários

Deixa um Comentário