CONTACTO

FEEDBACK

MODA

Quatro Casacos Essenciais Para o Inverno

Em pleno inverno a peça que tem mais destaque em qualquer look é, sem dúvida, o casaco. Sobrepõe todas as outras peças e para além disso é importante para nos mantermos quentinhas, confortáveis mas ao mesmo tempo em grande estilo. Se tivesse que fazer uma selecção de apenas quatro casacos para passar toda esta estação estes seriam os indispensáveis.  Todos diferentes entre  si mas muito versáteis, confortáveis e clássicos. Nos anos seguintes ainda fariam parte do meu armário, não tenho a menor duvida! Continuar a Ler

Sem categoria

DESCONVERSAS | Uma Vida Sem Pessoas Tóxicas

Há duas formas de nos livrarmos de pessoas tóxicas, quando elas se afastam por livre vontade ou quando nos apercebemos que já não podemos viver mais perto daquele ninho de más energias. Às vezes essas pessoas tóxicas são as mesmas que achamos indispensáveis, as que ligamos aquando das vitórias ou no ombro que choramos quando perdemos o chão. E o problema não é nosso, por vezes gostamos tanto de alguém que espelhamos nela apenas as coisas boas, quase como uma cegueira da realidade. Não reparamos em detalhes importantes, não nos damos conta que o amor que damos uma à outra é totalmente desequilibrado, que se esforçam demasiado para sorrir, que as palavras lhes saem quase que ensaiadas, que não nos dão espaço para sermos nós próprios, que nos criam barreiras e nos fazem ter medo. Por vezes criam um certo círculo à nossa volta que não nos deixa ver o que está do lado de lá. Não há uma fórmula pra sabermos quem é tóxico ou não mas há um coração que sabe sempre o que sente. E se sente preso não está ao lado das pessoas certas. Os verdadeiros amigos, as pessoas que gostam realmente de nós, que vivem intensamente as nossas alegrias são pessoas que nos dão espaço, que nos deixam tomar a direção que escolhemos, que nos deixam tropeçar, errar mas que no final do dia estão lá sem precisar de dizer nada. Estão lá as vezes que forem precisas. As que abrem um abraço mas não o fecham completamente porque sabem o que significa para nós sentirmo-nos livres. São também as que estão lá para discordarem do que dizemos, para nos chamarem à razão, para se fartarem de dar palmadinhas nas costas, para nos fazerem crescer se for preciso, para nos deixarem sozinhos se for a solução. Mas depois voltam, quando finalmente nos apercebemos que erramos. E voltam calados, sem juízos de valor, iguais, como se nada tivesse acontecido. E tudo isto é um processo, toda esta descoberta, são precisos muitos passos em falso para percebermos quem realmente nos faz bem. Ás vezes as pessoas têm o dom de ter essa aura com elas, outras vezes está em ações tão simples que passam despercebidas. Cabe-nos a nós sentir de coração aberto e decidirmos quem merece nele um cantinho especial. Passamos uma vida a dedicarmo-nos a  fazermos outras pessoas felizes, a esforçarmo-nos para que façam parte da nossa vida e não esperamos nada mais do que esse amor na mesma medida. Mas dia após dia as pessoas mostram quem são na realidade e percebemos que não podemos esperar mais do que apenas o que são capazes de dar, muito pouco. E, finalmente encontramos discernimento para sermos mais selectivos, para nosso próprio bem, há um certo preconceito em valorizar o amor próprio, o facto de nos colocarmos em primeiro lugar mas é quase como a nossa única bóia de salvação quando no meio de uma multidão nos sentimos mais sós que nunca. Darmos conta de que por muito que sejamos pessoas positivas, com objectivos definidos, ideias fixas, a vida nunca será o que quisermos que ela seja se continuarmos a deixar certas pessoas entrarem e fazerem parte de nós. Se a energia que elas passam não nos transmite tranquilidade estão mesmo a mais. Não nos resumimos a números de amigos mas no brilho que ganhamos quando alguém com boa aura está por perto, quando alguém nos faz sentir melhor sem razão, quando nos sentimos mais capazes porque simplesmente estamos ao seu lado. Precisamos de não ter medo de afastar quem está a mais, quem só está para estragar e limitar o nosso círculo, guardar segredos a sete chaves, ser fiel a quem torce por nós sem precisar se quer de o dizer.

Sem categoria

Três Novas Séries Para Acompanhar

As séries têm sido parte essencial do meu Outono/Inverno, aquela companhia de lareira que não dispenso! Estou a acompanhar tantas que por vezes me sinto meia perdida mas a verdade é que entre tantas esperas entre temporadas tenho sempre que arranjar boas substitutas. Hoje trago-vos as três que juntei mais recentemente à minha lista. Entre suspense e comédia, há lugar para tudo. Vejam, então, as minhas sugestões deste mês: Continuar a Ler

Sem categoria

DESCONVERSAS | Já Se Perguntaram Se São Felizes?!

Sobre tomarmos consciência de que ser feliz é muito mais do que ter uma vida confortável. Por vezes tomamos como certa aquela vida sem complicações, onde achamos que tudo está a nosso favor, temos a nossa casa, o namorado ou o marido, a família, um trabalho estável das oito às cinco e um sem número de rotinas que simplesmente nem nos lembramos que podemos quebrar. Deixamos aqueles sonhos que dão muito trabalho para viver noutra vida, fazemos só o que está certo ao olhar dos outros e fingimos que somos felizes, para eles e para nós, quase sempre sem tomarmos consciência de que o estamos a fazer. Podemos viver anos a fio nisto e deitarmos a cabeça na almofada todas as noites sem ficarmos horas a combater com o que mora lá no fundo, sem vontade de acordar e querer mais. Achamos que temos tudo, achamos só. Porque na realidade não há objectivos loucos ou sonhos que façam bater o coração mais forte. E sim, podemos achar que temos tudo e que não há nada para além disto, estamos confortáveis, conformados, e felizes?! E depois vem a vida farta de nos ver ser mais um e dá-nos aquele abanão. Às vezes parece que o abanão nos deixa sozinhos, com mil porquês, sem rumo, parece que o coração se parte em mil bocadinhos cinzentos. Mas eu chamo-lhe o abanão da sorte. Não são todos os que têm direito a segundas oportunidades, a emendar erros de principiante e a recomeçar fora da zona de conforto, do zero, a descobrir aos pouquinhos que a vida é muito mais do que simples ou fácil e a colorir o coração. Uma vida feliz está longe de ser fácil. E começamos de dentro para fora, descobrimo-nos a nós, batalhamos cá dentro e depois vamos. Percebemos que afinal também temos objectivos loucos, que existe algo aqui dentro que bate mais forte, que temos vontade de fugir de ser só normais e passarmos a ser nós próprios, sem receios, com vontade de viver exactamente como imaginávamos quando éramos inocentes e acreditávamos em sonhos. Vamos à procura de sensações novas, de fazer coisas pela primeira vez, de sentir aquele frio na barriga, aquele nervoso miudinho. E deixamos de querer estar satisfeitos com a nossa vida, de nos conformarmos e vamos, sempre a tentar ser mais e melhor, a descobrir mais e mais. A querer mais. A sentir mais. A viver mais. Não há nada como ir ao sabor do vento, sem rédeas e ser surpreendido. A felicidade está longe de ser a meta, é muito mais o caminho que percorremos entre dias de sol na terra e noites de tempestade em alto mar. É viver desde o nascer do sol ao anoitecer ao mesmo ritmo, num frenesim.

BELEZA

Favoritos de Beleza de 2018

O ano de 2018 foi cheio de descobertas no que toca a produtos de beleza, principalmente em termos de maquilhagem. Acho mesmo que o facto de ter experimentado tanta coisa me levou a conhecer produtos que já fazem parte da minha equipa infalível e daqueles que aconselho em conversa às amigas. Os que destaco com especial atenção são sem dúvida as máscaras de pestanas Paradise Extatic da L’óreal e o shampoo seco da Batiste, andei o ano inteiro de shampoo seco em shampoo seco mas este ganhou pela relação qualidade/preço, super acessível, fácil de utilizar e não deixa o cabelo com aspecto “cansado” ao final de algumas horas. Este foi também o ano em que decidi que iria deixar crescer, finalmente, o cabelo depois de dois anos de cortes radicais. As minhas pontas e aspecto saudável devem-se a dois aliados fortíssimos: Continuar a Ler

Sem categoria

O que vestir no Fim de Semana?!

Depois de uma semana de trabalho só me apetecem looks simples, confortáveis e nos quais não precise de pensar muito. Aproveito muitas das vezes para usar aqueles acessórios que não tenho como usar para o trabalho, os chapéus, bonés ou mesmo as malas de cintura.  Este fim de semana numa das minhas idas a Guimarães vi uma rapariga de boné, adorei a combinação, feminina mas com um apontamento descontraído e jovem. Continuar a Ler

Sem categoria

Vem Com Tudo 2019

Este foi um ano difícil para me focar nos meus objectivos, sempre fui de fazer planos, criar expectativas e esperar que as coisas tomassem o rumo que eu queria, sem pensar muito no caminho, talvez porque tudo estivesse no seu lugar e a acontecer num ritmo que não me assustava. Sempre quis que o blog fosse algo mais do que simplesmente um cantinho na internet, é algo que me faz feliz, pela qual tenho uma paixão enorme e que me faz trabalhar o meu lado criativo o que por sua vez me faz sentir realizada. Mas nunca tracei um plano para chegar onde queria, dei desculpas para não fazer certas coisas, criei barreiras e desisti porque achei que sozinha não ia conseguir levar isto no rumo certo. Para 2019 não criei expectativas mas tenho o objectivo de ser consistente e organizada em tudo o que tem a ver com este meu lado. Chegar onde queremos tem que partir única e exclusivamente de nós mesmos, ter consciência que há obstáculos pelo caminho, da imprevisibilidade da vida, de que temos muitas das vezes de fazer escolhas. Dar o máximo, sem necessariamente criar algo perfeito ou esperar que tudo esteja a favor para que algo aconteça. Sermos mais reais e a realidade está longe de ser perfeita.

Mas 2018 não foi um ano apenas de derrotas, superei-me mil e uma vezes e cheguei ao fim a perceber que não foi só a vida que mudou, eu mudei com ela. Aprendi imensas coisas, fiz outras tantas pela primeira vez, tornei-me mais independente, mais confiante, mais próxima das pessoas, mais com os pés na terra, com mais vontade de mostrar quem sou realmente, de ser eu própria com todas as minhas particularidade. E todas estas mudanças fazem com que me sinta mais capaz de recomeçar tudo isto, de me reinventar, de não me desviar do meu caminho e de saber o que realmente quero e trabalhar até tudo estar como idealizo. Dizem que nada é por acaso, é tão verdade, quando tudo parece ter perdido o rumo, há um caminho novo à nossa espera para percorrer e novos objectivos para nos encherem, novamente, de razões para vivermos todas as experiências intensamente.

Mal posso esperar por viver este ano, com todas as coisas boas e más, com todos os contratempos e dissabores, com todas as gargalhadas altas e lágrimas de felicidade, com mais umas quantas aprendizagens. Sinto que o nosso crescimento passa muito por aí, por vivermos intensamente todos os momentos e não fugirmos ou fingirmos, sabermos colocar tudo na balança e nunca perdermos a essência. Não ter medo de demonstrar o que sentimos, de nos mostrarmos frágeis, de dizer alto o que pensamos e não nos perdermos de nós. Nem deixar de ser gratos por tudo, por mais simples e pequeno que nos pareça.

Um bom Ano,

Diana